Confira Nossas Novidades

assine nossa newsletter para receber informações no seu e-mail

Hospitalhaços define ouvidora. Departamento começa a funcionar em agosto

Por: Larissa Pan, jornalista estagiária

Visando fortalecer a proposta de transparência, a Hospitalhaços acaba de eleger Lucimeire Graziela Martini como ouvidora, definida após processo seletivo baseado em experiência, disponibilidade e ética dos candidatos, critérios que foram divulgados no edital de processo seletivo para abertura da Ouvidoria. O departamento começará a atender no segundo semestre de 2018 e todos os endereços para contato serão divulgados em agosto.

Confira matéria sobre o lançamento do edital para a abertura da Ouvidoria.

De acordo com Adriana Mendonça Thomaz, coordenadora de Recursos Humanos da ONG, esse tempo (de março a julho) é necessário para que a ouvidora passe por um treinamento para obter o maior número de informações de cada departamento e estudar o estatuto da Hospitalhaços. Já sobre os candidatos, Adriana explica que tiveram quatro interessados e foi eleita aquela pessoa que tinha uma experiência maior dentro dos itens necessários para concorrer à vaga. Todos os outros candidatos foram comunicados e tiveram feedback sobre suas avaliações.

A Ouvidoria é uma entidade independente e será realizada pela Lucimeire de forma voluntária, ou seja, ela não será remunerada para exercer a função de ouvidora. Adriana adianta que em julho, quando a Lucimeire assumir o cargo, será feita uma matéria com seu perfil e um passo-a-passo para usar este canal. No entanto ela reforça que é importante saber que, embora a ouvidora já seja conhecida de muitos voluntários da ONG, durante o exercício o que dever prevalecer é a ética exigida pelo papel desempenhado.

“O que também podemos esclarecer desde já é que com a Ouvidoria os manifestantes terão mais um caminho para que suas opiniões, dúvidas, reclamações e sugestões em relação à instituição cheguem até a associação e tenham suas devidas soluções”, fala Adriana e continua: “Não existe critério na hora de deixar os comentários, e estes chegarão até a ONG por meio de e-mail, telefone, ou por ficha depositada nas urnas localizadas na sede e no bazar. Todos os contatos deverão ter identificação, entretanto apenas a ouvidora terá acesso a essas informações, que possuí, por ética, preservar o direito de sigilo do manifestante”.

O papel do Ouvidor – De acordo com o edital publicado no site da associação, o ouvidor deve receber a demanda, analisar à luz dos instrumentos legais no qual se baseia a sua constituição e finalidade de propósitos, bem como dos documentos normativos que norteiam o seu funcionamento. Por meio de sua atuação, deve buscar soluções adequadas, identificar tendências que envolvem a questão, propor e orientar a direção da Associação no sentido de resolver problemas, fomentar a melhoria do processo de trabalho e buscar sempre soluções efetivas. Sua competência é identificar os principais tipos de manifestações potencialmente geradoras de demanda: reclamações, denúncias, sugestões, informações, elogios, e dar o devido tratamento a cada uma delas.

 

Deixe um Comentário